Uma atitude pode mudar o mundo. Doe para o CASCA

Fábrica da Pedra completa 102 anos neste domingo, conheça a história

Fábrica da Pedra S/A – Fiação e Tecelagem inaugurada em 05 de junho de 1914 pelo empreendedor e desbravador Delmiro Gouveia, completa 102 neste domingo (5)

Guarita da Fábrica da Pedra/ Imagem Adalberto Gomes

Fundada por Delmiro Augusto da Cruz Gouveia, nascia na cidade de Delmiro Gouveia sertão alagoano, um empreendimento moderno bastante conhecido nos mercados interno e externo pela excelência na fabricação de produtos têxteis, que tinha a marca Estrela de carretéis de linha como selo da Companhia Agro Fabril Mercantil de Delmiro Gouveia (razão social da empresa).

Delmiro Augusto da Cruz Gouveia, fundador da Fábrica da Pedra/ imagem arquivo Adalberto Gomes

Logo, nos primeiros anos, a Fábrica da Pedra, comumente chamada pelo povo sertanejo, mostrou vigor industrial. Começou a operar os teares com mais de 800 operários entre homens e mulheres produzindo mais de dois mil carretéis de linhas para costura, rendas e bordados. Seus produtos de qualidade rapidamente ganharam espaço no mercado externo passando a exportar para Argentina, Chile e Peru.Os carretéis eram provenientes da Finlândia. E, o algodão, do Egito.

Imagem interna da produção da Fábrica da Pedra/ imagem arquivo Adalberto Gomes

Contudo, após três anos em atividade, a Fábrica da Pedra sofreu o maior revés. A prematura morte do desbravador do sertão alagoano Delmiro Gouveia, que fora assassinado no fatídico dia 10 de outubro de 1917.

A morte do empresário cearense Delmiro Gouveia radicado no sertão alagoano abalou a sociedade da época. O comando da fábrica foi assumido pelo sócio italiano Lionelo Iona e Adolpho Santos até 1924. Pouco tempo depois, os destinos da indústria são passados para o filho de Delmiro Gouveia, Noé. Nesse período, desaparece a linha Estrela e a fábrica foca a produção propriamente na indústria têxtil.

Em 1926, a Fábrica da Pedra é vendida ao grupo empresarial pernambucano Irmãos Menezes e Cia, administrado pela família Lacerda de Menezes. Este grupo manteve-se a frente do empreendimento até 1986. Neste ano, a fábrica foi adquirida pelo grupo Cataguases Leopoldina do empresário mineiro Ivan Müller Botelho, passando a chamar-se MultiFabril Nordeste S/A.

Em 1992, é adquirida pelo grupo empresarial alagoano Carlos Lyra, com quem permanece até hoje com a denominação Fábrica da Pedra S/A – Fiação e Tecelagem.
O Grupo Carlos Lyra apostou e investiu na aquisição de modernos equipamentos de última geração para a fiação “open-end” e os teares de pinça e a jato de ar, para a tecelagem.

Mesmo com todos os investimentos visando sua modernização, a fábrica hoje sofre com os efeitos perversos da crise que culminam no desemprego e demissões de funcionários.

Imagem Adalberto Gomes

Atualmente a Fábrica da Pedra tem cerca  de 600 funcionários, apesar da crise, a Fábrica recebe incentivos fiscais de isenção de ICMS amparado no compromisso da indústria manter ativa a linha de produção e os postos de trabalho.

 A Fábrica da Pedra é uma indústria  que tem contribuído para o desenvolvimento econômico e social do sertão, de Alagoas e do País. A Fábrica centenária não  pode desaparecer!

Por Redação Blog Adalberto Gomes Notícias 
Compartilhar no Google Plus

About tvmais delmiro

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário